Administração Paroquial

Pároco: Pe. Tarcísio Marques Mesquita


Pe. Tarcísio Marques MesquitaPe. Tarcísio Marques Mesquita
celebrou em novembro de 2010 seus 25 anos de vida sacerdotal. Foi ordenado presbítero (padre) no dia 9 de novembro de 1985, na Paróquia São João Batista do Brás, pelas mãos de Dom Luciano Mendes de Almeida (in memoriam), então bispo auxiliar da Região Episcopal Belém.

Em julho de 2011, no dia 23, Pe. Tarcísio tomou posse como novo pároco da Paróquia Nossa Senhora do Bom Parto, onde já atuou como vigário paroquial entre 1994 e 1997.

Atualmente o pároco também é Coordenador de Pastoral e Coordenador da Comissão de Subsídios da Região Episcopal Belém, acompanha a Comissão de Presbíteros da mesma Região e participa da programação de duas rádios: Jovem Pan AM (AM 620) e Nove de Julho (AM 1600). Os programas são transmitidos aos domingos e iniciam respectivamente às 6h e às 7h.

 

Colaborador: Mario Angelo Braggio

Diácono Mario Angelo Braggio

Mario Angelo Braggio foi ordenado diácono permanente* por dom Cláudio Hummes, em 4 de dezembro de 2005, na Catedral da Sé.

Na Paróquia Nossa Senhora do Bom Parto, no exercício do ministério diaconal, tem celebrado batizados, casamentos e bodas, auxilia o pároco e as pastorais nas mais diversas atividades e celebrações e leciona em uma das turmas da “Escola da Fé”.

Profissionalmente, Mario atuou como pedagogo na área da Assistência Social (1973-1997), como professor e orientador educacional (1970 a 2009) e atualmente é diretor de escola. Psicopedagogo e psicomotricista, trabalha com portadores de necessidades educacionais desde 1987.

 

(*) O ministério diaconal compreende o anúncio da Palavra, o serviço à liturgia e a caridade junto aos irmãos. O diaconato é o primeiro dos três graus do sacramento da Ordem; antecede o presbiterato e o episcopado.

Diácono permanente, entretanto, é aquele que foi ordenado para permanecer neste grau permanentemente, por ser um homem casado. A Arquidiocese de São Paulo implantou o diaconato permanente em 2000 e exige que os vocacionados tenham a mesma formação filosófica e teológica que os sacerdotes.